Eventos

Realizados no Plenário da ALERJ ou em espaços externos à Casa Legislativa, os eventos promovidos pelo Fórum buscam aproximar o Legislativo dos estudos mais recentes sobre os diversos setores da economia fluminense. A transcrição completa desses encontros, galeria de fotos e cobertura da imprensa estão disponíveis nesse repositório.
  • Fórum apresenta exemplos de práticas sustentáveis na Alerj

    A Secretária-geral do Fórum de Desenvolvimento do Rio, Geiza Rocha, compartilhou as experiências de implementação de medidas sustentáveis da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro no Seminário Licitações Sustentáveis” organizado pelo Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ), em parceria com o Projeto Compartilhando Ideias Sustentáveis. O encontro, no Museu do Meio Ambiente do Jardim Botânico, reuniu especialistas para debater avanços, capacitar servidores e compartilhar experiências relacionadas à sustentabilidade e o planejamento de licitações ligadas à redução do impacto ambiental e economicidade das atividades dos órgãos. A série de seminários foi iniciada ontem (15/04) e termina na próxima quinta-feira (18/04).

  • Fórum define atuação e temas que serão trabalhados para a retomada do crescimento do estado em 2019

    Criar uma agenda desafiadora para 2019 e que promova o desenvolvimento do estado. Com este intuito o Fórum de Desenvolvimento do Rio reuniu nesta quinta (14/03) representantes das 48 instituições da sociedade civil organizada e universidades para debater os temas que vão permear suas discussões neste ano. Dentre os assuntos que precisam estar no foco do parlamento estadual nesta nova legislatura, segundo os membros do Fórum, estão a aprovação do marco legal de inovação, a desburocratização e simplificação de processos, a política de incentivos fiscais e a criação do Selo Arte no Rio de Janeiro para fomentar o setor agropecuário. 

  • Educação é apontada como principal ferramenta na promoção de mudanças socioeconômicas no estado

    “Não podemos envelhecer antes de enriquecermos, e para que isso não aconteça, precisamos olhar para os indicadores sociais”. A afirmação foi feita por João Gomes, economista-chefe da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio) durante a apresentação da publicação Rio em Números, elaborada pela entidade com o Instituto Fecomércio RJ de Pesquisas e Análises (IFec), e lançada nesta quarta (27/02), no Plenário da Alerj. O estudo traz uma análise de dados socioeconômicos fluminenses com o intuito de embasar a tomada de decisões e contribuir na elaboração de políticas públicas que impactam no desenvolvimento sustentável do estado.

  • Agenda de Futuro: Alerj debate propostas e desafios para os próximos anos

     Empenhada em garantir a retomada do crescimento econômico sustentável do Estado, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) reuniu nesta segunda-feira (17/12) políticos atuais e recém-eleitos pelo povo fluminense, além de representantes do setor produtivo e de segmentos estratégicos da sociedade civil. Batizado de “Agenda de Futuro”, o evento, organizado pelo Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Rio, órgão vinculado à Alerj, motivou o presidente em exercício do Parlamento estadual, André Ceciliano (PT), a pautar para votação nas próximas sessões legislativas os projetos de lei 32/15 e 2910/17. O primeiro institui o plano diretor de transportes urbanos, entre outras medidas, enquanto o segundo modifica os parâmetros de cancelamento do Cadastro de Contribuintes do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Ambos foram reivindicados durante as discussões promovidas na reunião.

  • Fórum apresenta iniciativas sustentáveis no manejo do lixo

    O conceito lixo zero consiste em aproveitar ao máximo os resíduos e dar a eles um encaminhamento correto. O movimento, presente em vários países do mundo, inclusive no Brasil, tem o intuito de estimular o consumo consciente, mudar hábitos e práticas de vida de forma a incentivar ciclos sustentáveis, onde os materiais são projetados para permitir sua recuperação e uso pós-consumo. Para promover futuras parcerias em torno do tema, o Fórum de Desenvolvimento do Rio organizou nesta sexta (26/10), em parceria com o CEFET-RJ, o evento “Lixo Zero dentro e fora de casa”. Na ocasião, as entidades que compõem o Fórum apresentaram como lidam com a agenda de sustentabilidade em suas instituições. 
     
  • Elaboração da Carta de Serviços ao Cidadão pela gestão púbica é tema de curso na Elerj

    A Carta de Serviços ao Cidadão foi instituída por lei nos órgãos da administração pública estadual e autarquias do estado em 2011 (Lei 6.052). Mesmo após sete anos em vigor, a maioria das instituições ainda desconhece a existência e o propósito da Carta. “Ela é uma ferramenta que permite ao cidadão exercer um controle social sobre suas demandas, cobrando o cumprimento não só dos prazos, mas principalmente da qualidade do serviço prestado,” explicou o professor Luiz Paulo de Lira Moraes, coordenador da Cartão de Serviços ao Cidadão da Caixa, durante o Seminário “Ferramentas de Gestão Pública – Carta de Serviços ao Cidadão”, realizado pela Escola do Legislativo (Elerj) em parceria com o Fórum de Desenvolvimento do Rio, nesta quarta (15/08).

  • Especialistas apresentam ferramentas para incluir Parlamentos na agenda da sustentabilidade

    A data de primeiro de agosto marcou o dia do ano em que a população mundial gastou mais recursos do que o planeta será capaz de repor ao longo de todo 2018. O fato só vem reforçar a concepção de que o consumo desordenado é insustentável, além da necessidade urgente de se estabelecer um desenvolvimento equilibrado para o cumprimento da Agenda 2030. E, para os presentes ao Seminário de Internalização dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável no Parlamento, realizado nesta terça (07/08), na Escola do Legislativo, em parceria com o Fórum de Desenvolvimento do Rio, olhar para as compras realizadas pelos órgãos públicos é um começo interessante para internalizar o conceito de desenvolvimento sustentável.

  • Projeto de governança metropolitana deve ser votado até dezembro

    O projeto de lei complementar (PLC) 10/2015, que cria um sistema de gestão integrada da Região Metropolitana fluminense, deve ser votado pelo plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) até dezembro. A previsão foi feita pelo presidente em exercício da Casa, deputado André Ceciliano (PT), em uma audiência pública realizada nesta quarta-feira (13/06) pelo Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Rio. O objetivo foi receber contribuições de setores da sociedade sobre a proposta, que já recebeu 200 emendas parlamentares.

  • Combate à poluição plástica é debatido na Alerj

    Os oceanos representam 71% da superfície terrestre e respondem por 97% de toda água do planeta. Neles encontram-se uma rica biodiversidade essencial para vida humana. Além de serem responsáveis por boa parte do oxigênio existente, os oceanos também são reguladores climáticos. Com todas essas características é difícil imaginar a vida sem eles. No Dia Mundial dos Oceanos, o Fórum de Desenvolvimento do Rio, em parceria com a Frente Parlamentar Ambientalista da Alerj, celebrou a data com um evento que debateu a poluição ambiental causada pelo plástico. Calcula-se que 8 milhões de toneladas de plástico são despejadas nos mares anualmente. O seminário “Oceanos de Plástico: políticas públicas e práticas sustentáveis” foi realizado nesta sexta (08/06).

  • Para especialistas, internalização e integração são essenciais ao cumprimento da agenda 2030

    Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) fazem parte de uma agenda global, mas a proposta reconhece o fato de que cada região tem desafios específicos a serem enfrentados. Para isso, é preciso que haja uma internalização das metas por meio de uma integração calcada em parcerias entre o governo, empresas e a sociedade civil organizada. A constatação foi feita durante o seminário organizado pelo Fórum de Desenvolvimento do Rio nesta quinta (07/06) para debater como incorporar os ODSs à agenda do governo. O evento “Papel do poder público no cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável” foi realizado no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro e reuniu representantes dos governos federal e estadual, da iniciativa privada, da sociedade civil e do PNUD.

  • Ações de desburocratização avançam e contribuem para a melhoria do ambiente de negócio no estado

    Mesmo com a crise, o estado do Rio de Janeiro vem sendo vanguarda na construção de propostas para enfrentar a burocracia. A busca pela melhoria do ambiente de negócios vem pautando as ações de diversos municípios fluminenses em prol do desenvolvimento local. A integração entre os órgãos estaduais em um único sistema também é considerada um fator determinante na promoção da agilidade na abertura de empresas. Para sensibilizar os municípios para a necessidade de revisão de processos e redução da burocracia o Fórum de Desenvolvimento do Rio realizou nesta quarta (06/06) no Plenário da Alerj, em parceria com a Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro (Jucerja), o evento “Simplificar para crescer: como a desburocratização impulsiona novos negócios”.

  • Diálogo entre setores tradicionais e emergentes alavanca economia de Nova Friburgo e Região

    Com mais de 182 mil habitantes, Nova Friburgo, cidade da Região Serrana Fluminense, tem na indústria a sua espinha dorsal, responsável por 40% do PIB do município. Os principais setores são os metalmecânico e têxtil. Porém, a economia friburguense vem ganhando destaque com a criação de polos em segmentos emergentes como o da cervejaria artesanal e o audiovisual. A cidade vem dinamizando suas atividades, com exemplos bem-sucedidos de arranjos produtivos locais, que beneficiam toda a região. O diálogo entre os setores tradicionais e emergentes vem proporcionando novas oportunidades. É o caso do plantio de lúpulo na região, que tem se mostrado promissor, unindo a produção agrícola e cervejeira da região. Responsável por dar corpo, aroma e sabor à bebida, o lúpulo utilizado hoje na fabricação das cervejas em todo o país é importado. São cerca de 2.500 toneladas ao ano a um custo de US$35 milhões. Os potenciais econômicos de Nova Friburgo foram debatidos nesta quarta (9/05), no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. O seminário “Nova Friburgo 200 anos: potencialidades e agenda para o futuro” foi realizado pelo Fórum de Desenvolvimento do Rio, órgão da Alerj, em parceria com o deputado Wanderson Nogueira (Psol). O encontro fez parte também da agenda de comemorações do bicentenário da cidade.

  • Políticas públicas voltadas para prevenção são fortes aliadas da economia e qualidade de vida da população

    A adoção de um estilo de vida saudável, com bons hábitos alimentares associados à prática de atividades física, é uma poderosa arma contra inúmeras doenças e deve ser estimulada por meio de políticas públicas. Segundo especialistas, no caso do Brasil, em que o setor saúde é financiado em grande parte por recursos públicos, as medidas preventivas geram também impactos econômicos positivos. A constatação foi feita durante o Seminário "Prevenção, Qualidade de Vida e Sustentabilidade na agenda das políticas públicas", realizado nesta quarta (14/11) no Plenário da Alerj. O evento, organizado pelo Fórum de Desenvolvimento do Rio, em parceria com a Frente Parlamentar de Enfrentamento ao Câncer, abordou temas como a alimentação saudável e sustentável e a atividade física, além de propostas bem sucedidas no combate ao tabagismo.

  • Fórum e Uerj lançam Caderno de Cultura do Estado do Rio na Alerj

    Como a cultura se manifesta no território fluminense? Para responder a essa pergunta a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), em parceria com o Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Estado, produziu o Caderno de Cultura do Estado. Lançado em formato digital nesta quinta (09/11), durante o Seminário "Cultura e desenvolvimento local: o papel dos municípios", no Salão Nobre da Alerj, a publicação identificou como a cultura está estruturada e espacializada nos 92 municípios do Rio.

  • Mudanças na Lei Federal de Regularização Fundiária e seus impactos para o estado são apresentadas na Alerj

    O Governo Federal lançou em julho o Programa de Regularização Fundiária após a sanção da Lei nº 13.465 (antiga MP 759/2016). O novo marco legal altera os procedimentos de regularização fundiária urbana e rural com o objetivo de modernizar a legislação em vigor. A norma traz inovações como o direito de registro de lajes, comuns em comunidades fluminenses, e dá mais autonomia aos municípios. Em todo o país, espera-se que 150 mil famílias de baixa renda sejam beneficiadas e 460 mil títulos rurais sejam distribuídos. O principal benefício da nova lei é a garantia de mais agilidade no processo de regularização fundiária, segundo o deputado Rafael Picciani (PMDB). 

  • IBGE lança Censo Agropecuário 2017 na Alerj

    A partir de outubro, os recenseadores do IBGE começam a percorrer todas as propriedades rurais para traçar um retrato do campo no país. Estima-se que mais de 5 milhões de estabelecimentos sejam visitados para compor o Censo Agropecuário 2017, que irá coletar informações que servirão de base para estatísticas oficiais. Os dados serão utilizados na elaboração de políticas públicas e investimentos voltados ao setor, responsável por cerca de 25% das riquezas do Brasil. O lançamento do 11º Censo Agro no estado, organizado pelo IBGE em parceria com o Fórum de Desenvolvimento do Rio, aconteceu nesta quinta (28/09), no Plenário da Alerj.

  • Angra 3: cada real investido na usina representaria dois reais a mais no PIB

    Importância da energia nuclear para recuperação do Rio foi tema de seminário na Alerj

    Cada real investido na retomada das obras da usina nuclear de Angra 3, que estão paralisadas, representaria um efeito multiplicador no PIB nacional de duas vezes o que foi gasto. Os dados, que fazem parte de um estudo desenvolvido pela Eletronuclear em parceria com a FGV, foram apresentados no seminário "Contribuição da indústria nuclear para a recuperação econômica fluminense", realizado pelo Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Estado, em parceria com a Associação Brasileira para Desenvolvimento de Atividades Nucleares (Abdan), nesta terça-feira (29/08), no plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj).

  • Produtores de laticínios do estado têm reivindicações atendidas pela Alerj

    Representantes da cadeia produtiva láctea do estado que participaram do evento realizado pelo Fórum de Desenvolvimento do Rio, órgão da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), nesta quarta (15/03) saíram otimistas do auditório Senador Nelson Carneiro.

  • Iniciativas para reduzir a produção de lixo são discutidas na Alerj

    Práticas internacionais de redução da produção de lixo foram apresentadas no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), nesta quinta-feira (27/10), durante 2º Seminário Internacional Conceito Lixo Zero na Prática, promovido pelo Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Estado, em parceria com o Instituto Lixo Zero Brasil. Essa é a segunda vez que a Alerj sedia o evento, que este ano contou com palestrantes internacionais.

  • Semana Lixo Zero é lançada na Alerj

    A Semana Lixo Zero foi lançada nesta sexta-feira (21/10) em um evento na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) promovido pelo Fórum de Desenvolvimento do Estado. A campanha acontece entre os dias 21 e 30 de outubro. O lançamento reuniu especialistas no tema e integrantes de ações ambientais em diferentes municípios do estado. Temas como o consumo consciente, descarte de resíduos e reaproveitamento de materiais foram abordados durante a reunião.

    O deputado Thiago Pampolha (PDT), presidente da Comissão de Meio Ambiente da Alerj, esteve presente, e comentou sobre as contribuições trazidas pela campanha. "Ela vem ao encontro do trabalho que temos realizado na comissão. Queremos mostrar aos gestores públicos e empresas a importância de ter como aliados as cooperativas, buscando produzir o menos de resíduo possível”, afirmou.

  • Bitributação que afeta setor de reciclagem pode virar denúncia a ser encaminhada ao Ministério Público

    O deputado Luiz Paulo (PSDB), presidente da comissão de tributação da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), propôs nesta segunda-feira (05/09) em encontro promovido pela Comissão de Tributação e pelo Fórum de Desenvolvimento do Rio, em parceria com o Observatório da Política Nacional de Resíduos Sólidos, elaborar junto com representantes do setor de reciclagem e a defensoria pública federal uma denúncia junto ao Ministério Público. A proposta é que os estados da federação, através do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), assinem um convênio corrigindo a distorção que atinge a produção de material reciclado no Brasil. A cadeia de produção de material reciclado desembolsa R$ 2,6  bilhões por ano para pagar tributos que já foram cobrados na fabricação inicial das mercadorias, segundo estudo da Confederação Nacional das Indústrias (CNI). “Se os estados não terminarem com essa bitributação, o Brasil não vai avançar. Temos hoje 12 milhões de desempregados e uma das formas de combater o desemprego é exatamente com a reciclagem e com as cooperativas de catadores”, ressaltou Luiz Paulo. 

  • Prefeitos pedem urgência na aprovação de projeto que adia pagamento de precatórios

    Votar ainda antes do recesso parlamentar o projeto de lei 2055/2016, que adia até o fim do ano o prazo para pagamento dos precatórios por parte dos municípios. Esse foi um dos pedidos feitos por cerca de 30 prefeitos que se reuniram nesta quarta-feira (27/07), no plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) para o encontro "Recuperação Econômica dos Municípios Fluminenses", organizado pelo Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro em parceria com a Associação dos Municípios do Estado do Rio de Janeiro (AEMERJ). "Muitos municípios estão vergados sob o peso dos precatórios e não estão conseguindo pagar. Nem os que pagam em regime mensal, e nem os que pagam sob o regime anual. No final do ano também não vão conseguir. Vão deixar isso como restos a pagar num ano em que a Lei de Responsabilidade Fiscal não permite que façamos isso", explica o presidente da  Associação dos Municípios do Estado do Rio de Janeiro (Aemerj), Anderson Zanon, prefeito de Sapucaia, na Região Serrana.

  • Governo planeja licitação para gestão público-privada do saneamento na Baixada e em São Gonçalo

    O governo do estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, está preparando uma licitação para gestão público-privada do saneamento na Baixada Fluminense e em São Gonçalo. A informação foi dada, nesta quinta-feira (21/07) pelo secretário estadual do ambiente, André Corrêa, durante reunião do Fórum de Desenvolvimento da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

  • Descentralização de postos de trabalho na região metropolitana do Rio é defendida na Alerj

    A criação de postos de trabalho na Baixada Fluminense e outros municípios da Região Metropolitana do Rio foi defendida por prefeitos e representantes das 21 cidades da região. As propostas foram apresentadas na terceira audiência publica sobre o Projeto de Lei Complementar (PLC) 10/2015, que determina uma administração integrada das cidades da Região Metropolitana do Rio, promovida pelo Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) na última terça-feira (12/07).

  • Gestão integrada da região metropolitana é debatida na Alerj

    Criar um instrumento para a gestão compartilhada na região Metropolitana do Rio de Janeiro, integrando os 21 municípios e o Governo do Estado para planejar políticas públicas de saneamento, resíduos sólidos e transportes. Este é o objetivo do projeto de lei complementar 10/15, de autoria do Executivo, que foi debatido na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) nesta quarta-feira (06/07), com especialistas em planejamento urbano, que defenderam uma ampla participação da sociedade civil na discussão sobre o projeto. 

  • Plano de desenvolvimento estratégico da Região Metropolitana do Rio é discutido na Alerj

    Descentralizar a oferta de empregos e serviços na área metropolitana do Rio é um dos principais objetivos do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana da capital fluminense. Atualmente, 75% dos postos de trabalho e 85% dos leitos hospitalares da região se concentram na cidade do Rio. Para debater as fases de elaboração do plano, o Fórum de Desenvolvimento Econômico e Estratégico da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) realizou, nesta quarta-feira (29/06), uma reunião entre os representantes da Câmara Metropolitana e do Consórcio Quanta-Lemer, que são responsáveis pelo projeto, e os parlamentares da Casa.

  • SuperaRio discute propostas para o desenvolvimento na região dos lagos

    Fortalecer o turismo, a pesca, e investir na a melhoria dos serviços de energia elétrica e internet. Essas foram as principais medidas defendidas para o desenvolvimento da Região dos Lagos na última etapa do projeto Supera Rio, promovido pelo Fórum Permanente de Desenvolvimento do Estado, órgão da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) com a Inter TV, afiliada da Rede Globo, realizada no município de Cabo Frio, nesta segunda-feira (27/06). A região, considerada uma das mais belas do litoral fluminense, marcada pelo turismo e pela indústria do sal, reúne dez municípios, tem 790 mil habitantes e é responsável por 7,4% do PIB estadual.

  • SuperaRio debate propostas para desenvolvimento do noroeste fluminense

    Investimentos em logística, melhoria no sistema de fornecimento de energia, gás e internet para a atração de indústrias foram as principais medidas defendidas pelos participantes do encontro do Supera Rio para a Região Noroeste Fluminense. O projeto, promovido pelo Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Estado, órgão da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) com a Inter TV, afiliada da Rede Globo, foi realizado no município de Itaperuna, no Noroeste Fluminense, nesta sexta-feira (24/06), na feira Merconoroeste. A região, a mais pobre do estado, reúne 13 municípios, tem 324 mil habitantes e é responsável por 0,9% do PIB estadual.

  • Projeto que suspende incentivos fiscais é debatido na Alerj

    O estado do Rio deixou de arrecadar R$ 9,3 bilhões em 2015 com a concessão de incentivos fiscais, segundo dados da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz). No entanto, segundo estudo apresentado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), o Rio pode perder 98 mil postos de trabalho caso os incentivos sejam cancelados. Nesta quarta-feira (22/06), o Fórum de Desenvolvimento Estratégico da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) promoveu um debate sobre o Projeto de Lei 1.431/16 que determina o a suspensão da concessão de novos incentivos fiscais no Rio por dois anos, com exceções das áreas de cultura e esporte.

  • Alternativas para o desenvolvimento do estado são discutidas no norte fluminense

    Impulsionar o crescimento econômico do estado do Rio por meio de um planejamento integrado entre diversos municípios. Essa foi uma das principais medidas defendidas durante o encontro do projeto Supera Rio, promovido pelo Fórum de Desenvolvimento Estratégico do Estado, órgão da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) com a Inter TV, afiliada da Rede Globo, realizado no campus da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) em Campos dos Goytacazes, nesta segunda-feira (20/06).

  • SuperaRio discute alternativas de desenvolvimento para o Estado

    Criar uma câmara de desenvolvimento regional e uma agenda integrada de turismo, além de facilitar a abertura de empresas no estado foram alguns dos compromissos assumidos pelo Legislativo Fluminense para impulsionar o crescimento econômico do estado. Nesta segunda-feira (13/6), o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e do Fórum de Desenvolvimento Estratégico do estado, deputado Jorge Picciani (PMDB), conduziu a abertura do SuperaRio, no município de Nova Friburgo, na Região Serrana. O evento, uma parceria do Fórum com a Inter TV, afiliada da Rede Globo, acontecerá em mais três regiões do estado. Ao final de cada encontro, será redigida uma carta com as propostas apresentadas durante a reunião. Clique neste link para ler a carta aprovada após ao final do evento.

  • Comissão quer reativação de trens turísticos no Estado

    O presidente da Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputado Dr. Sadinoel (PMB), afirmou que pretende visitar as cidades da região Serrana para discutir com instituições e representantes de prefeituras e do estado a reativação de ferrovias. O anúncio foi feito durante audiência pública realizada nesta quinta-feira (14/04) em parceria com o Fórum Permanente de Desenvolvimento do Estado, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj)."Queremos mapear o estado do Rio e verificar os locais que tem potencial para receber ferrovias de caráter turístico, e pretendemos começar pela região serrana", afirmou o parlamentar. Uma das propostas é a de buscar investimento, principalmente privado, para a reativação da linha que liga o Alto da Serra, em Petrópolis até a estação de Barão de Mauá, no Centro Rio, desativada desde 1965.  Em 2007, o economista Antonio Pastori já havia apresentado um projeto, no valor de R$ 200 milhões, para a restauração do trecho, mas a medida não foi implementada. 

  • Evento discute integração dos três poderes para proteção ambiental

    Integrantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário discutiram os desafios para a proteção do meio ambiente em seminário realizado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) na sexta-feira (18/03). No encontro, foram discutidas ações que devem ser colocadas em prática para garantir o desenvolvimento sustentável, como a criação de um marco legal para a governança da Baía de Guanabara, proposta pelo secretário de Estado de Ambiente, André Corrêa. 

  • Desenvolvimento Sustentável vai nortear as ações do Fórum em 2016

    O desenvolvimento sustentável do Estado do Rio será tema de uma das primeiras reuniões do Fórum Permanente de Desenvolvimento do Rio, no próximo dia 3 de março. Esta será a primeira atividade do planejamento feito nesta quinta-feira (18/02), em reunião realizada na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) com mais de 50 representantes de organizações que participam das Câmaras Setoriais que compõem a entidade. No encontro, foram discutidos os principais desafios do Estado para este ano e apresentadas as atividades realizadas em 2015.

  • Plano diretor de mobilidade urbana estadual tem como prioridade expansão da linha 2

    O secretário estadual de transportes, Carlos Osório, anunciou nesta quarta-feira, (09/12) que a prioridade inicial do Plano Diretor de Transporte Urbano (PDTU) é expandir a linha 2 do metrô. De acordo com o secretário, o novo percurso terá mais cinco estações: Estácio, Catumbi, Praça da Cruz Vermelha, Carioca e Praça XV. “ A expansão desta linha é essencial pois é um trecho pequeno mas com uma grande demanda concentrada” afirmou o secretário. O PDTU foi apresentado na Assembléia Legislativa em evento do Fórum de Desenvolvimento do Rio na Alerj, e reuniu parlamentares e representantes de diversas entidades interessadas em conhecer o Plano estadual e o Plano de Mobilidade Urbana Sustentável (PMUS), elaborado pela secretaria municipal de Transportes da cidade do Rio de Janeiro.

  • Secretário diz que BRT intermunicipal deverá ficar pronto em 2018

    O secretário de Estado de Transportes, Carlos Roberto Osório, apresentou, nesta terça-feira (17/11), na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), durante evento realizado pelo Fórum de Desenvolvimento Estratégico, o projeto de expansão do Sistema BRT, sigla em inglês que significa Transporte Rápido por Ônibus. Segundo ele, o plano de construção do BRT Leste Metropolitano, que ligará os municípios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí no trecho da RJ-104, é uma prioridade do Governo do Estado e deve ser executado até 2018. A meta do Governo é transportar 200 mil passageiros por dia útil nos corredores desse BRT intermunicipal.

  • imagem

    Lixo Zero: Somente 2% dos resíduos sólidos são reciclados

    Destinação incorreta do lixo gera desperdício de R$ 8 bilhões por ano ao Brasil. Palestrantes de países como Estados Unidos e Suécia relataram suas experiências no 1º seminário internacional Conceito Lixo Zero na Prática. Evento aconteceu na Alerj, nesta quinta-feira, 29/10, no plenário. Semana Lixo Zero 2015 promove quase mil eventos em 6 estados e 20 cidades do interior do país.

  • imagem

    Semana Lixo Zero Rio de Janeiro 2015 é lançada na Alerj

    Para conscientizar a população sobre a importância da coleta seletiva de lixo, foi lançada a Semana Lixo Zero Rio de Janeiro. Durante nove dias, a capital e outros seis municípios receberão eventos com iniciativas para a redução de resíduos sólidos. Segundo o Instituto Lixo Zero, 52% do lixo doméstico e comercial do país seguem para os lixões ou aterros sanitários e apenas 2% são reciclados.

  • imagem

    Primeira-Dama do Estado anuncia criação do Museu Brasil da Cachaça

    A criação do museu no nosso estado vai elevar as exportações do destilado, criar mais empregos e divulgar a bebida que é patrimônio histórico e cultural do nosso país", explicou a primeira-dama. Panorama sobre o setor também foi apresentado durante o evento: As cachaças fluminenses geram lucro de U$ 2,2 milhões por ano com a venda ao exterior e representam 8,3% da exportação brasileira.

  • imagem

    Setores afetados pela crise econômica apresentam propostas para 2016

    Redução da carga tributária e investimento em capacitação e tecnologia foram algumas das principais demandas do setor produtivo fluminense apresentadas, nesta quarta-feira (14/10), em uma audiência pública mediada pelo Fórum de Desenvolvimento do Rio em conjunto com as comissões de Orçamento e de Tributação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

  • imagem

    Pesquisadores defendem educação física nas escolas como legado olímpico

    Segundo opinião dos presentes, o legado esportivo deve valorizar o profissional de educação física , sobre tudo na formação de atletas ainda na escola. Especialistas também avaliaram legado deixado em edições anteriores dos jogos. Ricardo Catunda, que preside o Conselho Regional de Educação Física do Ceará, defendeu a valorização do professor de educação física.

  • imagem

    Governo quer estender benefícios fiscais aos 92 Municípios

    O Governo do Estado enviará à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), até o fim do ano, projeto de lei com mudanças nas regras de tratamento tributário especial, que hoje beneficiam 51 municípios. Nessas cidades, para atrair indústrias e gerar emprego e renda, empresas recolhem 2% de ICMS ao Estado, em vez de 19%. O projeto amplia o benefício aos 92 municípios fluminenses.

  • imagem

    Governo estuda linha de crédito para renovar frota de táxis

    Para alavancar o setor automotivo no Sul Fluminense, o governador Luiz Fernando Pezão estuda abrir uma linha de crédito para renovar as frotas de táxi do Estado para as Olimpíadas de 2016. A medida foi apresentada durante reunião do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado, na Assembléia Legislativa do Rio (Alerj), nesta terça-feira (08/09), com representantes de montadoras, cadeia de fornecedores, sindicatos e federações da indústria e do transporte. 

  • imagem

    E-book lançado na Alerj fala sobre desafios pós-olimpíadas

    O Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado lançou, nesta quinta-feira (28/05), na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), o e-book O Futuro dos Megaeventos Esportivos - a mais nova referência para a análise dos desafios pós-Olimpíadas de 2016. Organizado por Andrea Deslandes, Lamartine DaCosta e Ana Miragaya, a publicação reúne artigos de 38 pesquisadores brasileiros e 12 estrangei

  • imagem

    Articula Maré: Atuação conjunta no Complexo

    A primeira reunião do projeto de articulação entre sociedade civil, autoridades e organizações não-governamentais que atuam no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, aconteceu nesta quinta-feira (21/05), na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

  • imagem

    Cebds lança na Alerj cartilha sobre agricultura sustentável

    Foi lançada, nesta terça-feira (07/04), na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), durante evento realizado pelo Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado, a cartilha “Financiamento para Pequenos e Médios Produtores Rurais”.

  • imagem

    Setor de Compras ganha nova ferramenta para compras sustentáveis

    O Manual de Compras Sustentáveis, desenvolvido pelo Grupo de Trabalho de Compras do Conselho Empresarial Brasileiro de Desenvolvimento Sustentável, foi apresentado durante evento do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado na manhã desta segunda (02/06)

  • imagem

    Consórcios facilitarão planos municipais de mobilidade urbana no estado do Rio de Janeiro

    A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) propôs a criação de consórcios municipais para a elaboração de planos de mobilidade urbana. O presidente da Casa, deputado Paulo Melo (PMDB), sugeriu as alianças durante o Seminário de Sensibilização para a Política e o Plano de Mobilidade Urbana promovido pelo Fórum de Desenvolvimento do Rio nesta terça-feira (29/04).

  • imagem

    Consórcios facilitarão planos municipais de mobilidade urbana

    A Alerj propôs a criação de consórcios municipais para a elaboração de planos de mobilidade urbana. O presidente da Casa, deputado Paulo Melo (PMDB), sugeriu as alianças durante o Seminário de Sensibilização para a Política e o Plano de Mobilidade Urbana realizado nesta terça-feira.

  • imagem

    Fórum debate incentivos tributários para microgeração de energia

    Dentre os desafios para a microgeração de energia se expandir e se tornar realidade em um número expressivo de residências no país está a tributação. Segundo o resposável pela Regulação Técnica Comercial da Ampla, Alexis Torres, "A cobrança de ICMS como é feita hoje dificulta a compensação de energia, que é o principal atrativo para o consumidor”.