Desenvolvimento Sustentável

Nessa Câmara Setorial, formada por renomados especialistas em meio ambiente, estão no foco das discussões o papel do poder público na promoção da sustentabilidade; os desafios e metas devem ser perseguidos para garantir um desenvolvimento baseado no tripé economia, sociedade e meio ambiente; iniciativas e boas práticas nacionais e internacionais e a divulgação de estudos que contribuam no enfrentamento dos efeitos do aquecimento global sobre as cidades.
  • Bioeconomia movimentará evento da Semana Lixo Zero no plenário do Palácio Tiradentes

    O uso de alta tecnologia para mudar processos produtivos, tornando-os mais sustentáveis, como principal força motora da bioeconomia. Esse é o tema da 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que esse ano acontece concomitantemente ao calendário da Semana Lixo Zero Brasil. A ideia é aproveitar a coincidência de datas para realizar um evento no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, no dia 22 de outubro, para debater o tema. A Câmara de Desenvolvimento Sustentável do Fórum de Desenvolvimento se reuniu nesta quarta (04/09) para começar a desenhar o evento.

  • Fórum prepara evento de lançamento da Semana Lixo Zero

    Desenhar o lançamento da Semana Lixo Zero 2019 e consolidar sugestões dos membros da Câmara de Desenvolvimento Sustentável para a nova edição do evento estão na pauta do encontro que o Fórum de Desenvolvimento do Rio realiza dia quatro de setembro, às 10h, no auditório do Conselho Regional de Contabilidade.

  • Semana Lixo Zero 2019 terá novidades

    Pintou novidade para a edição deste ano da Semana Lixo Zero, que o Fórum de Desenvolvimento do Rio promove em parceria com o Movimento Lixo Zero Brasil desde 2015. A ideia é aproveitar a coincidência de datas com a 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia e promover um encontro no plenário da Assembleia Legislativa para debater o tema. A decisão foi tomada nesta quinta-feira (15/08), durante reunião da Câmara de Desenvolvimento Sustentável, no Conselho Regional de Contabilidade.

  • Câmara de Desenvolvimento Sustentável define ações para o segundo semestre

    A Câmara de Desenvolvimento Sustentável do Fórum de Desenvolvimento do Rio fará reunião no próximo dia 15 de agosto, quinta-feira, no auditório do Conselho Regional de Contabilidade, no Centro do Rio, para definir os temas que serão abordados pelos integrantes do grupo no segundo semestre de 2019.

  • Alerj lança campanha de recolhimento de lixo eletrônico

    A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) lançou nesta quarta (05/06), Dia Mundial do Meio Ambiente, uma campanha de recolhimento de lixo eletrônico.  A iniciativa, realizada em parceria com o Sindicato das Empresas de Informática do Estado do Rio de Janeiro (TIRio), vai recolher até o dia 3 de julho computadores, impressoras, máquinas fotográficas, celulares e suas peças, em perfeito estado ou não, para serem encaminhados para destinação correta e sustentável. Todos os prédios da Alerj já contam com pontos de coletas espalhados em locais estratégicos. Segundo estudo da Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil é o sétimo maior produtor de e-lixo do mundo e o maior da América Latina. Apenas 2% dos resíduos, porém, é reciclado.

  • Nova edição da “Síntese” lança campanha contra o e-lixo

    Lixo eletrônico ou e-lixo é todo o material produzido pelo descarte de equipamentos eletrônicos. Com o elevado uso destes equipamentos hoje em dia, este tipo de lixo pode virar um grave problema ambiental quando não jogado fora corretamente. A quinta edição da "Síntese para Tomadores de Decisão", produzida pelo Fórum de Desenvolvimento, e que começou a circular ontem, detalha os perigos do lixo tecnológico e lança a campanha da Alerj em parceria com o Sindicato das Empresas de Informática para ampliar a conscientização sobre o descarte correto.

  • Copinhos de mandioca: exemplo de Economia Circular

    Copinhos feitos a partir de fécula de mandioca, pares de óculos produzidos a partir de embalagens descartadas de pasta de dente e relógios à base de madeira reutilizada. Todos os exemplos anteriores marcam um novo tempo nos debates sobre sustentabilidade nos meios de produção, onde é cada vez mais presente a busca em reduzir ao máximo os descartes industriais. A velha e popular ideia da reciclagem, hoje, começa a subir o telhado, e países como a Inglaterra projetam livrar-se dos seus resíduos sólidos até o ano de 2050.

  • Economia Circular será tema de debate na Câmara de Desenvolvimento Sustentável

    A economia circular propõe novas formas de produzir, consumir e se relacionar de maneira sustentável, provocando uma redefinição de valores. Os desafios na adesão das práticas de reusar, reduzir e reciclar serão temas dos próximos encontros da Câmara de Desenvolvimento Sustentável, que se reuniu nesta quarta (20/03) para definir o escopo de trabalho em 2019. A ideia é produzir ao final dos debates um documento informativo para o legislativo estadual sobre a economia circular.

  • Fórum apresenta iniciativas sustentáveis no manejo do lixo

    O conceito lixo zero consiste em aproveitar ao máximo os resíduos e dar a eles um encaminhamento correto. O movimento, presente em vários países do mundo, inclusive no Brasil, tem o intuito de estimular o consumo consciente, mudar hábitos e práticas de vida de forma a incentivar ciclos sustentáveis, onde os materiais são projetados para permitir sua recuperação e uso pós-consumo. Para promover futuras parcerias em torno do tema, o Fórum de Desenvolvimento do Rio organizou nesta sexta (26/10), em parceria com o CEFET-RJ, o evento “Lixo Zero dentro e fora de casa”. Na ocasião, as entidades que compõem o Fórum apresentaram como lidam com a agenda de sustentabilidade em suas instituições. 
     
  • Câmara desenha evento de lançamento da Semana Estadual do Lixo Zero

    Desde 2015 o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro participa da Semana do Lixo Zero, realizada sempre na última semana de outubro. O intuito do movimento, que é realizado concomitantemente em vários estados, é chamar atenção para o tema dos resíduos sólidos expondo boas práticas e propostas inovadoras que estão ocorrendo no País e no mundo. A novidade deste ano é que a data passou a integrar o calendário estadual de eventos, a partir da publicação do Decreto 46.435/2018, publicado no dia 26 de setembro. Nesta quinta-feira (04/10), a Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável se reuniu para formatar o lançamento da Semana do Lixo Zero no Rio de Janeiro. O evento “Lixo Zero dentro e fora de casa” vai reunir especialistas de diversas instituições que compõem o Fórum para que eles apresentem iniciativas que estão sendo desenvolvidas em suas entidades e as possibilidades de parceria que podem ser realizadas para avançar na agenda sustentável. O evento será realizado no dia 26 de outubro, às 9h30, no auditório do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet-RJ).

  • Precificação do carbono pode aumentar a competitividade das indústrias brasileiras

    O combate às alterações climáticas é uma das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que definem as prioridades globais até 2030. A precificação do carbono vem sendo apontada como uma alternativa ao problema e já é realidade em várias partes do mundo, porém ainda pouco utilizada no Brasil. O método consiste em atribuir um custo aos impactos gerados pelo aumento de gases de efeito estufa na atmosfera, com o objetivo de desencorajar produtos e serviços com maior impacto ambiental e incentivar as tecnologias limpas.

  • Alerj recebe evento sobre os ODS no poder público em junho

    Debater como incorporar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável à agenda do poder público é o intuito do evento que o Fórum de Desenvolvimento do Rio realizará no dia 7 de junho, no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. A definição da data, assim como a programação do evento e convidados foram fechados nesta sexta (04/05), durante o encontro que aconteceu no Conselho Regional de Contabilidade (CRCRJ). O seminário reunirá representantes das três esferas de governo, do empresariado e da sociedade civil organizada, além de organismos internacionais para debater o papel de cada ator no cumprimento dos ODS.

  • Alerj sediará evento sobre o papel do poder público na implementação dos ODS em junho

    Integração é a palavra-chave no cumprimento da Agenda 2030, da qual o Brasil é signatário junto com 192 outros países membros das Nações Unidas, na busca por um mundo mais sustentável. A constatação foi feita nesta quinta (12/04), no encontro promovido pelo Fórum de Desenvolvimento do Rio para debater a programação do seminário “O papel do poder público nos desafios dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável”. O evento será realizado em junho, no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, durante a Semana Mundial do Meio Ambiente, que acontece de 1 a 5 daquele mês.

  • Implementação dos ODSs no poder público será tema de evento na Alerj

    Debater o papel do poder público no cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) é o intuito do evento que o Fórum realizará no plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. A ideia do evento surgiu nesta quarta (07/03) durante a reunião da Câmara de Desenvolvimento Sustentável, realizada no auditório do Conselho Regional de Contabilidade (CRCRJ). O encontro, ainda sem data definida, terá uma parte expositiva e outra parte de apresentação de boas práticas já implementadas no estado.

  • Governo apresenta Rede de Edifícios Públicos Sustentáveis do Estado em reunião do Fórum

    A Rede Sustent, iniciativa do governo criada para a construção e implementação de medidas sustentáveis nos edifícios públicos estaduais foi apresentada nesta terça (26/09), durante a reunião das Câmaras de Energia e de Desenvolvimento Sustentável, realizada no auditório da Alerj. Lançada pela Secretaria de Fazenda e Planejamento (Sefaz) no fim de junho, a Rede vem promovendo ações como o uso racional de água e energia elétrica, o intercâmbio de conhecimento e boas práticas no uso sustentável dos prédios públicos, além de oferecer capacitação e certificação aos gestores das cerca de 2.200 instalações da administração pública fluminense.

  • Fórum debate ações para aumentar eficiência energética dos prédios públicos do estado

    Criada em 2009, a Etiqueta de Eficiência Energética em edificações públicas faz parte do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE Edifica) e foi desenvolvida pela Eletrobrás em parceria com o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). “Hoje, as edificações públicas, comerciais e residenciais juntas são responsáveis por metade do consumo de energia elétrica total do país, ultrapassando as indústrias. Então as etiquetagens vieram para reduzir o consumo de energia nessa parcela de consumidores. A eficiência energética precisa ser trabalhada antes mesmo de se pensar em expandir o sistema, ou da construção de novas usinas”, afirmou a arquiteta Myrthes Santos, consultora em sustentabilidade e eficiência energética da Equalize Consultoria, que apresentou para os membros das câmaras setoriais de Energia e de Desenvolvimento Sustentável do Fórum o processo de etiquetagem de prédios públicos e experiências locais, bem como os principais desafios de implantar a eficiência energética nestas edificações. O encontro foi nesta quarta (02/08), na Escola do Legislativo (Elerj).

  • Debate sobre Acordo Setorial de embalagens reúne municípios, indústria e catadores do estado

    Debater como os municípios podem se articular com a indústria e as organizações de catadores e avançar na questão da coleta seletiva dos resíduos sólidos foi o intuito da reunião da Câmara de Desenvolvimento Sustentável. Em pauta, os convidados trouxeram informações sobre como o acordo setorial de embalagens pode contribuir para esse processo. O encontro, realizado nesta quarta (05/07), no auditório da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), contou com a participação de representantes de prefeituras fluminenses, da indústria e também de movimento de catadores.

  • Acordo setorial de embalagem pode contribuir para a gestão dos resíduos sólidos nos municípios

    Desde 2010, com a regulamentação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, a responsabilidade pela coleta e a destinação adequada do lixo recolhido passou a ser dos municípios. Porém, a crise econômica tem agravado o problema e o que se vê é a volta de lixões, proibidos em todo o país. Uma das saídas para essa questão pode estar no acordo setorial de embalagens, assinado no final do ano passado, e que prevê a possibilidade de as empresas fazerem convênios com as prefeituras para estabelecer programas de educação ambiental e a correta destinação dos resíduos. A constatação foi feita pelos membros da Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável durante a reunião desta quarta (02/05), no Conselho Regional de Contabilidade. O encontro teve como objetivo repercutir a apresentação do Plano Estadual de Resíduos Sólidos realizada em abril pelo Fórum de Desenvolvimento do Rio, órgão da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

  • Plano Estadual de Resíduos Sólidos tem como meta erradicar lixões até 2018

    O estado do Rio de Janeiro produz 17 mil toneladas de lixo por dia, sendo que 83% destes resíduos são gerados pela população da Região Metropolitana. Porém, apenas  3% (60 mil toneladas/ano) dos vidros, papel/papelão, metais e plásticos descartados têm como  destino a reciclagem. Os dados foram apresentados nesta quinta pela Secretaria de Estado de Ambiente (SEA) durante a reunião da Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável e fazem parte do Plano Estadual de Resíduos Sólidos (PERS/RJ). No encontro realizado na Escola do Legislativo, a superintendente de Gestão de Resíduos Sólidos da SEA, Sheila Valle, detalhou os diagnósticos e metas do PERS/RJ recém-aprovado por meio do Decreto Nº 45.957 de 22 de março de 2017. 

  • Propostas de desoneração da cadeia de reciclagem do estado são apresentadas em reunião do Fórum

    A busca de soluções para impactar a desoneração da cadeia de reciclagem do Estado do Rio de Janeiro é uma questão que vem sendo amplamente debatida na Câmara de Desenvolvimento Sustentável. E algumas propostas, inspiradas em outros estados, já estão começando a surgir, como a concessão de crédito presumido e a redução da base de cálculo do ICMS para produtos que tenham um selo verde. 
  • Fórum irá mapear modelos tributários de outros estados para a cadeia de reciclagem fluminense

    Os baixos índices de reciclagem no Rio de Janeiro por conta dos gargalos enfrentados apontam para a necessidade urgente de avanços desse setor no estado. A desoneração fiscal da cadeia produtiva da reciclagem para aumentar a produção e baratear o preço dos produtos provenientes de material reciclado é considerada uma das principais medidas para o desenvolvimento da atividade. Visando encontrar soluções para a questão, a Câmara de Desenvolvimento Sustentável vai mapear junto com a Firjan as legislações sobre o tema existentes em outros estados para apresentar à Comissão de Tributação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). O objetivo é evitar a saída de empresas de reciclagem para outros estados. A decisão de realizar essa ação conjunta foi tomada nesta quinta (06/10), durante o encontro da Câmara, promovido pelo do Fórum de Desenvolvimento do Rio.

  • Desoneração do setor de reciclagem e política de compensação ambiental serão tratadas pelo Fórum

    A revisão do sistema tributário e os incentivos à cadeia de reciclagem estiveram em pauta durante a reunião da Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável realizada nesta quinta (15/09) no Sebrae. No encontro organizado pelo Fórum de Desenvolvimento do Rio, órgão da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), os participantes demonstraram preocupação em buscar soluções que levem ao desenvolvimento do setor de reciclagem fluminense. Durante a reunião os membros da Câmara também sugeriram que a Alerj intermediasse um encontro com o Poder Executivo para que ele apresente a política do governo estadual para a compensação ambiental, e quais projetos serão beneficiados em 2017.

  • Indústrias do estado investem na diversificação de fontes no combate à escassez de água

    “O estado do Rio de Janeiro ainda vive uma crise hídrica. Apesar de os reservatórios do Rio Paraíba do Sul estarem operando em quase 44% do nível de reservação, a série histórica indica que esse número deveria girar entre 60 a 70%”, alertou Jorge Peron, gerente de Meio Ambiente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), durante a reunião da Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável. No encontro, realizado nesta quinta (12/05) na sede da Associação da Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro, Peron apresentou os resultados do estudo “Impactos da Escassez de Água 2015”, dando continuidade ao debate sobre a crise hídrica no estado na pauta do Fórum de Desenvolvimento do Rio, presidido pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). A pesquisa apontou as principais ações adotadas pelas indústrias fluminenses para economia de água.

  • Ação das indústrias para driblar a crise hídrica é tema de discussão

    A escassez de água no estado do Rio de Janeiro fez com que as indústrias fluminenses investissem na diversificação de fontes, dependendo menos da rede pública, e revissem o consumo de água no processo de produção. Essas ações estão descritas na pesquisa “Impactos da Escassez da Água 2015", produzida pelo Sistema Firjan e que serão apresentadas na reunião da Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável, do Fórum de Desenvolvimento do Rio. O encontro será realizado no dia 12 de maio, às 10h, na Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro (AEERJ).

    Lançado esse ano, o estudo mostra as principais medidas adotadas pelas indústrias para economia de água. “De uma maneira geral, as empresas já vinham realizando um conjunto de ações estruturais que resultaram em uma mudança no perfil de consumo. As indústrias estão buscando outras fontes de fornecimento, como a captação de chuva e de poço para tornar a produção mais eficiente”, afirmou Jorge Peron, gerente de Meio Ambiente da Firjan, que irá apresentar os resultados da pesquisa na reunião.

  • Crise hídrica desafia o estado a encontrar novas soluções para o abastecimento

    Para que o Rio de Janeiro não enfrente mais problemas com a falta de água, o relatório final da CPI da Crise Hídrica da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) apontou uma série de medidas a serem tomadas para garantir o abastecimento. “Apesar de o nível dos reservatórios ter aumentado, a situação ainda é de crise”, afirmou o deputado Luiz Paulo (PSDB) durante a apresentação dos resultados para os membros da Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável, do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado, realizado nessa terça (26/04), no auditório do Conselho Regional de Contabilidade (CRC-RJ). De acordo com Luiz Paulo, que presidiu a CPI, dentre os principais tópicos estão as políticas de reflorestamento e proteção das nascentes do Rio Paraíba do Sul, o tratamento de esgoto e o combate ao desperdício de água.

  • Crise hídrica e segurança no abastecimento são temas de debate no Fórum

    A crise hídrica que mobilizou o estado do Rio ano passado não afetou apenas as residências e cidadãos fluminenses, mas também gerou impactos na produção industrial e agrícola. Com o intuito de aprofundar esse debate que esteve em pauta no Legislativo e na sociedade civil organizada, a Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável do Fórum de Desenvolvimento do Rio reunirá seus membros para a apresentação do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito da Crise Hídrica, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, no dia 26 de abril, às 10h. O encontro será no auditório do Conselho Regional de Contabilidade (CRC-RJ). 

    Na ocasião, o presidente da CPI, deputado Luiz Paulo (PSDB), apresentará as conclusões do relatório e o gerente Jorge Peron, da gerência de Meio Ambiente da Firjan, apresentará os resultados da pesquisa “Impactos da Escassez da Água 2015”, lançado esse ano pela Federação e que mostra como a indústria tem reagido à escassez de água.

  • imagem

    Seminário internacional discute lixo zero na Alerj

    Estrelas da sustentabilidade mundial participam, nesta quinta-feira (29/10), de 9h30 às 12h, do seminário internacional Conceito Lixo Zero na prática, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Especialistas contarão suas experiencias na redução de produção de resíduos.

  • imagem

    Alerj vai sediar abertura da semana Lixo Zero

    Sete municípios do Rio e a capital vão participar de eventos setoriais sobre iniciativas para redução dos resíduos sólidos e boas práticas na gestão desses resíduos. É a primeira vez que o evento é realizado no Rio. Nove palestrantes de outros países também participarão.

  • imagem

    Fórum vai mobilizar instituições para que participem da Semana Lixo Zero

    Entre os dias 22 e 29 de Outubro será realizada a Semana Lixo Zero, que vai mobilizar sete municípios do estado do Rio e a capital em uma série de eventos que abordam iniciativas para redução e boas práticas na gestão de resíduos sólidos .

  • imagem

    Fórum propõe a Cebds realização de workshop para divulgação do manual de compras sustentáveis

    Um ano após o lançamento do Manual de Compras Públicas produzido pelo Cebds na ALERJ, a Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável se reuniu para nesta terça-feira (14/04) para traçar estratégias de difusão do conceito junto aos órgãos públicos do estado.

  • imagem

    Debate sobre abastecimento de água terá ideias apresentadas à CPI

    A dessalinização da água do mar e o reúso do líquido nas indústrias foram defendidos como alternativas no abastecimento do Estado do Rio de Janeiro, durante reunião da Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável do Fórum de Desenvolvimento do Rio, nesta quinta-feira (05/03).

  • imagem

    Desenvolvimento da Região Metropolitana será foco do Fórum

    Em 2015, o Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado irá incrementar ainda mais o seu caráter de centro de discussões do Rio de Janeiro. A meta é reunir as comissões permanentes da Alerj e a Casa Fluminense para debater o crescimento da Região Metropolitana.

  • imagem

    Compras públicas sustentáveis em debate

    Nesta quarta-feira (10/9) a Escola de Contas e Gestão do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (ECG), em parceria com o Comitê Gestor Socioambiental do TCE-RJ e o Fórum Permanente do Estado do Rio de Janeiro da Alerj promoveu o debate "Compras Públicas Sustentáveis".

  • imagem

    Geração de energia a partir do lixo será apresentada no Fórum

    No dia 10/09, às 10h, o analista da EPE, Luiz Gustavo Silva de Oliveira, apresenta a palestra “Aproveitamento energético de resíduos no contexto do planejamento energético nacional” aos membros das Câmaras Setoriais de Energia e de Desenvolvimento Sustentável do Fórum Permanente.

  • imagem

    Diretrizes para compras sustentáveis são tema de discussão no fórum

    A aquisição de produtos de uso contínuo, como caneta e copos descartáveis, por instituições públicas e privadas pode ser dificultada pela lógica do menor preço, instituída pela Lei federal 8.666/93, que cria normas para licitações e contratos da administração pública.

  • imagem

    Cebds vai apresentar esboço de nova norma sobre compras sustentáveis

    Relações Institucionais do Cebds, Fernando Malta, apresentará o esboço da nova norma técnica sobre compras sustentáveis na ISO e ABNT. O objetivo da apresentação é atualizar sobre o processo de discussão da norma, além de implicações diretas e indiretas de sua aprovação.

  • imagem

    Produção local de fitoterápicos será tema de seminário

    O Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado realizará um seminário para divulgar a cadeia produtiva de fitoterápicos no Rio de Janeiro. A iniciativa foi anunciada nesta segunda, durante reunião das Câmaras Setoriais de Desenvolvimento Sustentável e de Agronegócios.

  • imagem

    Fórum debate potencial do estado na produção de fitoterápicos

    É do campo que sai a maior parte dos medicamentos. Com o intuito de aproximar a produção rural, a pesquisa e a produção de fitomedicamentos, o Núcleo de Gestão em Biodiversidade e Saúde - Farmanguinhos/Fiocruz (NGBS), desenvolve ações que geram renda e melhoram a saúde da população.

  • imagem

    Setor de Compras ganha nova ferramenta para compras sustentáveis

    O Manual de Compras Sustentáveis, desenvolvido pelo Grupo de Trabalho de Compras do Conselho Empresarial Brasileiro de Desenvolvimento Sustentável, foi apresentado durante evento do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado na manhã desta segunda (02/06)

  • imagem

    Fórum debate uso de manual de compras sustentáveis do CEBDS pelo poder público

    No próximo dia 2 de Junho, a Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável promove o II Seminário Compras Públicas Sustentáveis no Rio de Janeiro: Fazendo Acontecer, das 9h30 às 12h no Auditório Senador Nelson Carneiro, no prédio anexo à ALERJ,

  • imagem

    Manual de compras sustentáveis para grandes empresas pode servir de modelo para o setor público

    Utilizar o poder de compra de grandes empresas e do estado para tornar a sustentabilidade uma realidade no País já vem sido debatido há muito tempo. Para orientar a ação, e responder ao desafio de implementar as compras sustentáveis, o Cebds produziu o Manual de Compras Sustentáveis

  • imagem

    Consumidor quer que governo compre de forma sustentável

    O consumidor quer ser consultado sobre os critérios de compra do governo, e acredita que ele deveria adotar práticas de compras favoráveis a empresas sustentáveis e com responsabilidade social, assim como obrigá-las a fornecer informações sobre os impactos provocados pelas operações.

  • imagem

    Fórum e Instituto Akatu debatem parcerias na promoção das compras e consumo sustentáveis

    A Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável do Fórum Permanente de Desenvolvimento do Estado do Rio se reunirá nesta quinta-feira (13/02) para dar continuidade às discussões sobre o desenvolvimento das compras públicas sustentáveis no estado do Rio.

  • imagem

    Fórum aproxima setores público e privado na defesa da análise do ciclo de vida dos produtos

    Uma avaliação que pode se tornar um diferencial no mercado para as empresas. A teoria foi defendida pelo gerente de desenvolvimento sustentável da Braskem, Luiz Gustavo Ortega, ao falar sobre o ciclo de vida dos produtos, durante palestra da CS de Desenvolvimento Sustentável do Fórum.

  • imagem

    Fórum debate normas para compras públicas sustentáveis e ciclo de vida dos produtos

    Câmara de Desenvolvimento Sustentável do Fórum promove dia 14/02, às 10h, palestras sobre ciclo de vida dos produtos e normas para produtos sustentáveis. Foram convidados para participar do encontro Caroline Reis, da ABNT e o coordenador da rede Braskem, Luiz Ortega.

  • imagem

    Reunião definirá agenda de eventos do Fórum para 2014

    No próximo dia 11/02, às 10h, o Fórum de Desenvolvimento do Rio de Janeiro reunirá seus 147 membros e presidentes das 37 entidades que o compõem para definir a agenda de atividades deste ano e reunir sugestões de temas a serem tratados pelas câmaras setoriais.

  • imagem

    Fórum defende compras coletivas e sustentáveis pelo Estado

    Com o objetivo de facilitar a compra conjunta de suprimentos por várias secretarias, a Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado criou um comitê de Gestão Estratégica de Suprimentos. A apresentação foi feita na reunião da CS de Desenvolvimento Sustentável do Fórum de Desenvolvimento.

  • imagem

    Fórum discute compras públicas sustentáveis no estado

    A Câmara Setorial de Desenvolvimento Sustentável do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro se reúne nesta quarta-feira (30/10), às 10h, no Conselho Regional de Contabilidade do Rio (CRC), na Rua 1º de Março 33, 18º andar.

  • imagem

    Energia gerada dentro de casa *

    Comum na Europa, o conceito de microgeração de eletricidade a partir de fontes renováveis ainda engatinha no país. Pioneiro por aqui, o empresário alemão Hans Rauschmayer, de 47 anos, instalou o primeiro equipamento do gênero no estado, no telhado de sua casa, em Santa Teresa, na capital.

  • imagem

    Fórum promove atualização sobre Compras Públicas Sustentáveis

    O Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro promove, no próximo dia 2 de setembro, às 9h, na Alerj uma manhã de capacitação. O evento tem como objetivo tornar realidade e adoção de critérios de sustentabilidade nas compras governamentais.